EB do Condado e EB das Galinheiras
Escola Ciência Viva - ID: 1157
107
Viva a Ciência
Alunos da Escola Ciência Viva em torno do pêndulo de Foucault no Pavilhão do Conhecimento
Uma semana repleta de experiências, emoções e novas aprendizagens foi o que os alunos do 4.º ano da EB do Condado e da EB das Galinheiras tiveram na Escola Ciência Viva.

Pequenos cientistas, grandes questões!
Como conseguiste ser cientista? Ser cientista é nunca acabar a escola; é estar sempre a aprender. Mas, quando o que queremos saber ainda não está escrito nos livros, temos que ir à procura e estudar sobre o assunto. No meu caso, também preciso observar ao microscópio. Ao observar o que está à nossa volta estamos sempre a aprender.
Encontro com o investigador Pedro Abreu
Tivemos a presença do investigador Pedro Abreu, físico do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas - LIP. O título da sua apresentação “Viagem ao espaço (e tempo)”, levou-nos à exploração do universo.
“O universo é tão grande!” foi o mote para nos explicar que existem muitas galáxias, que são conjuntos de estrelas, e que numa galáxia podem existir 100 mil milhões de estrelas. Explicou-nos que através de telescópios conseguimos estudar objetos que estão longe de nós. Desta forma, é possível estudar o universo mesmo que existam objetos longínquos e que parecem tão pequenos.
Viva a Ciência
107
Engenheiros, mãos à obra!
Precisamos de imaginação, alguma criatividade e muita vontade de vencer
Numa das atividades realizadas na Escola Ciência Viva, fomos desafiados a construir uma estrutura resistente aos sismos. Em grupo, tivemos de eleger os materiais e... pôr mãos à obra!
Escolhemos entre os diferentes tipos de solo: solo franco, areia de grão fino ou cascalho. Construímos estruturas com paus de madeira, arames ou palhinhas e usámos fita-cola. Também pusemos plasticina, esferovite e esponja para fortificar a nossa construção.
Não foi fácil! Mas foi muito divertido!
Estruturas construídas pela turma prontas a serem testadas
Aprendemos a importância de acreditar no trabalho em equipa e de não desistir perante as dificuldades.
E descobrimos que juntos somos mais fortes!
Ecrã de alfinetes-com a pressão das nossas mãos criámos muitas sombras
Explora – atividades em grupo
Nós fizemos bolas de sabão gigantes… tentámos ver o arco-íris, mas nem sempre conseguimos, tirámos fotografias das nossas sombras, que pudemos observar na parede, o que foi ao mesmo tempo assustador e divertido… Conseguimos criar e parar, algumas vezes, um tornado. Algumas das atividades levaram-nos a pensar que eramos pequenos mágicos, que tínhamos entrado num mundo de magia, onde o que vemos nem sempre é o que nos parece ser…
Programadores em aprendizagem
No Scratch Jr, com os iPads, aprendemos a criar cenários divertidos, escolher personagens e introduzir movimentos e sons. Construímos histórias, algumas estranhas, se calhar sem sentido e outras engraçadas.
Afinal o que é a ciência?
A ciência é fazer e aprender mais; é explorar coisas novas; é descobrir; é criativa; é matemática; é trabalhar em grupo…
A ciência, para mim, é tudo!
O risco depende das nossas decisões!
Gostámos de explorar a exposição Risco porque foi:
divertido... jogar a Roleta e arriscar apanhar um choque; arriscado... subir ao cume da montanha; desafiante... atravessar o labirinto “bêbado”; emocionante... tentar desativar a bomba.