EB1 Arco-Íris e EB1 Actor Vale
Escola Ciência Viva - ID: 724
12
Viva a Ciência
Grande semana na Escola Ciência Viva
Na semana de 6 a 10 de janeiro tivemos a sorte de estar no Pavilhão do Conhecimento, na Escola Ciência Viva. Experimentámos, explorámos, aprendemos e divertimo-nos muito!

À descoberta do Dòing
Na exposição Dòing explorámos cinco áreas. Construímos as nossas próprias invenções: aviões de papel, máquinas de berlindes, circuitos elétricos, máquinas voadoras e máquinas de rabiscos. Fomos muito engenhocas. Descobrimos e aprendemos muitas coisas e percebemos como estas máquinas funcionam. Também fizemos um concurso de aviões. Foi muito divertido! Vale a pena ir lá!
Encontro com o cientista
Estivemos à conversa com Mª do Céu Machado. Esta cientista é médica pediatra, trabalha no Hosp. de Sta. Mª, em Lisboa, é professora na Fac. de Medicina e a sua investigação é em pediatria e neonatologia. Ouvimos explicações sobre a sua profissão, os batimentos cardíacos com o estetoscópio e observámos instrumentos de recolha de sangue. No fim do encontro fizemos algumas perguntas e aprendemos que para sermos cientistas temos de ser curiosos, trabalhadores, persistentes e atentos e que, para além das vacinas, uma das melhores maneiras para não apanharmos doenças é termos sempre as mãos bem lavadas.
Viva a Ciência
12
Descoberto “jardim zoológico” escondido de peixes fluorescentes
A fluorescência dos peixes
No mar, muitas espécies de peixes brilham com cores que vão do verde ao vermelho – mas só agora se descobriu que este fenómeno afinal é muito comum. “Já sabíamos há muito tempo que, debaixo da água, organismos como os corais e as medusas exibiam o fenómeno de biofluorescência, mas nos peixes os casos registados eram raros”, diz um comunicado de John Sparks, curador do Museu Americano de História Natural e um dos principais coautores do projeto PLOS ONE.
Tubarão pata-roxa (Scyliorhinus retifer) a emitir luz verde fluorescente
A biofluorescência consiste na absorção de luz por um organismo, que a seguir a transforma e a reemite noutra cor.
Os cientistas pensam que os peixes utilizam esta capacidade para efeitos de comunicação e de acasalamento.
Nuno Dias com os alunos da Escola Ciência Viva
À conversa com Nuno Dias
No dia 8 tivemos uma agradável surpresa: fomos para a Biblioteca assistir a um teatro de fantoches apresentado pela equipa da Escola Ciência Viva. Esta peça era sobre o livro do escritor Nuno Dias, autor do livro “Alice através do mercado”. O autor utilizou as personagens de alguns contos infantis e escreveu um livro sobre assuntos relacionados com a alimentação. Conversámos, aprendemos, rimos! Obrigado Nuno Dias.
Era uma vez!
Estivemos na nova exposição do Pavilhão do Conhecimento,explorámos e aprendemos novos conceitos e realizámos muitos trabalhos relacionados com as histórias infantis. Foi muito divertido!
Plantas para descobrir e saborear
Na cozinha é um laboratório vimos as diferentes partes que constituem as plantas. A seguir foi-nos lançado um desafio: realizar uma original e saborosa piza com ingredientes de todas as partes das plantas. As pizas ficaram deliciosas!
Artistas com pinta!
No laboratório, em cima das mesas de trabalho estavam espinafres, beterraba, argila e carvão para fazermos uma obra de arte. Ficaram admirados?! Nós também!A partir destes elementos extraímos pigmentos de origem mineral, vegetal e fizemos tinta.