EB1 Fernanda de Castro e EB1 Quinta dos Frades
Escola Ciência Viva - ID: 750
18
Viva a Ciência
Os pequenos cientistas
Somos os alunos do 3º/4ºE da EB1/JI Fernanda de Castro e os alunos do 4ºB da EB1 Quinta dos Frades e na semana de 17 a 21 de fevereiro estivemos na Escola Ciência Viva.

A compota da avó: uma experiência saborosa num laboratório chamado cozinha…
Aprendemos novos conceitos como a osmose e a esterilização e conhecemos as propriedades da pectina. Compreendemos a transformação da abóbora em doce e como se pode conservar este doce, criando uma compota. Provámos, gostámos e trouxemos um frasco para a nossa escola. O entusiasmo cresceu e quase todos os alunos disseram que iriam fazer compotas em casa com a família.
Encontro com o Cientista
Alexandre Quintanilha, dispensa apresentações. Entre muitas coisas, é presidente do Conselho Científico do Pavilhão do Conhecimento. Nasceu em Moçambique. Formou-se em Física na África do Sul, na universidade onde também estudou Nelson Mandela. Passou parte da sua carreira na Universidade da Califórnia, como investigador, onde se interessou por Biologia. Depois de ter vindo viver para Portugal, fundou no Porto o Instituto de Biologia Molecular e Celular. Além de investigar tem outra paixão: a de ensinar. Partilhou connosco muitas coisas. Disse-nos, que ninguém descobriu onde se guarda a memória.
Viva a Ciência
18
Apelando à imaginação…
Quando entrámos na exposição “Era uma vez” ficámos de boca aberta com o que vimos …
Os cenários das histórias pareciam reais de tão bem representadas que estavam. Formámos grupos e a professora entregou um questionário para respondermos. No Capuchinho Vermelho aprendemos as características dos lobos; na Cinderela verificámos as propriedades dos materiais; na Alice no País das Maravilhas percebemos melhor o perto e o longe; com Hansel e Gretel testámos os conhecimentos sobre o paladar e o olfato; com João Pé-de-Feijão observámos as várias espécies de feijões e a sua germinação; com A Princesa e a Ervilha apurámos o sentido do tato.
Explorando as histórias
Foi muito interessante porque explorámos várias matérias, até envolvemos a matemática nas histórias tradicionais e usámos o IPad para tomar notas.
Esta exposição está também adaptada a outros meninos, uma vez que as histórias são traduzidas noutras línguas: Braille, língua gestual, Inglês e Espanhol.
DÓING
Uma mão cheia de aventuras
No Dóing fizemos uma construção, usando vários materiais, onde os berlindes podiam escorregar, fizemos objetos voadores sem motor para circular num túnel de vento, feitos com papéis coloridos, copos e palhinhas. Noutra área montámos circuitos elétricos. Mais à frente, reaprendemos a fazer aviões de papel, aprendemos a fazer desenhos num ecrã com umas canetas especiais e ainda construímos um robô que fazia rabiscos. Lindo!
Com um só clique… temos luz! Como?
Aprendemos a acender uma lâmpada. Ligámos uma ponta do fio à lâmpada e a outra ponta à bateria, com o outro fio fizemos a mesma ligação e… fez-se luz! A este circuito chama-se circuito elétrico simples. Também montámos circuitos em série.
Aprender a Brincar e muito mais…
Adorámos o Dóing, a Casa Inacabada, o Vê Faz e Aprende e a Bicicleta Voadora, bem como o Jardim da girafa e os jogos: a pesca, o equilíbrio de ovos, cabos e patins e o enigma. O porta-moedas também ficou muito giro.
Fomos arquitetos e engenheiros…
Trabalhar em equipa para construir a casa. De touca e capacete na cabeça, começámos. Não conseguimos construir totalmente a casa. No final refletimos sobre o nosso comportamento e a importância do cumprimento das regras.