Externato Champagnat
Escola Ciência Viva - ID: 943
61
Viva a Ciência
Regresso às aulas com o Externato Champagnat
As turmas do 3ºA e do 3ºB do Externato Champagnat inauguraram o regresso às aulas na Escola Ciência Viva 2015-2016. Foram pintores, cozinheiros e construtores, sempre com alma de cientista.

Pequenos cientistas descrevem a ciência
Para mim a ciência não é só vestir uma bata branca pegar em tubos de ensaio e em líquido e já está! Não, não e não eu acho que é muito mais! Eu acho que a ciência é diversão, animação e só aprender!!! (3ºB)

A ciência é uma arte onde se fazem experiências com coisas, bicicletas, relógios e etc mas a ciência é uma coisa que leva tempo e esforço. (3ºA)
Encontro com o Cientista Francisco Andrade
O biólogo Francisco Andrade, investigador do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, falou de como podemos gerir o mar. Trouxe consigo a vértebra de uma otária e a vértebra de uma baleia que todos tiveram oportunidade de tocar. Com uma coluna de água de 1,5m, uma caixa de areia e 6 berlindes conseguimos compreender porque é que o atleta Usain Bolt consegue ser 5 vezes mais rápido do que o Michael Phelps a nadar. O investigador explicou que isso acontece porque a água é um fluido mais viscoso que o ar, tem mais atrito. Mas os campeões do mar são os atuns, que nadam a 70 km/hora!
Viva a Ciência
61
Na Escola Ciência Viva todos os minutos são de ciência!
Minutos de Ciência na Exposição Vê, faz e Aprende.
Na exposição Vê, Faz e Aprende tivemos oportunidade de aprender ciência em alguns minutos. Tivemos a sorte de ter uma cientista a fazer experiências só para nós!
Vimos um foguetão a levantar voo, apenas com água, vinagre e bicarbonato de sódio. E acreditem que voo bem alto!
Conseguimos derrubar uma pirâmide de copos ao batermos num tambor com a parte de baixo virada para os mesmos. Isto aconteceu, porque ao batermos, saia ar e esse ar tinha força para derrubar os copos.
A nossa turma a experimentar a cama de balões
Conseguimos derrubar uma pirâmide de copos ao batermos num tambor com a parte de baixo virada para os mesmos. Isto aconteceu, porque ao batermos, saia ar e esse ar tinha força para derrubar os copos. Pela primeira vez experimentámos uma cama, que no seu interior tinha balões com ar. Podem pensar que apenas um de nós a pisou e que os balões rebentaram…
Inacreditável, não acham?!
Uma das pontes que conseguiu aguentar 1,1 kg
Pontes seguras em equipa
Na Escola de Ciência Viva, fizemos uma atividade chamada “Pontes Seguras”.
Primeiro, desenhámos um plano. A seguir, fomos buscar os materiais: palhinhas, paus de espetada, arame, espátulas, fita-cola, plasticina, cartão e cordel. Em grupos, construímos as pontes. Por fim, testámo-las com um carrinho e com alguns pesos. Algumas caíram, outras (mais seguras) resistiram.
Mas o mais importante foi o trabalho de equipa!
A união faz a força na casa inacabada
No fim de construirmos a casa, percebemos que tinha de haver trabalho em equipa e organização. Com a ideia de que a união faz a força, em mente, arrumámos as peças a tempo. A Ana Rita até disse que íamos ganhar uns pontos extras!
O que é a ciência?
A ciência é projectos coisas que achamos que não existem e existem. A ciência é um projecto de coisas que existem mas nós ainda não sabemos, podem ser nojento mas é interessante à mesma. São coisas giras, feias ou até muito feias!
A magia dos espelhos!
Na exposição Vê Faz e Aprende, experimentámos dois módulos com espelhos: Faz uma Corrente e Espelho Giratório.
Para percebemos como funcionam, na sala, desenhámos metade de uma figura e com um espelho vimos a outra metade. Criámos uma simetria.